quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

[Top 5] Os Melhores Livros de 2016


     Pense em um ano repleto de ótimos lançamentos na literatura? Esse foi 2016... Escolher os 5 melhores livros que li este ano foi bastante difícil. Li muita coisa legal, conheci novos autores, li outras obras de alguns que já conhecia... Enfim, foi um ano muito proveitoso. E nada melhor do que chegar no final do ano e listar todas aquelas obras que tanto surpreenderam, emocionaram, divertiram, intrigaram e arrebataram toda nossa afeição. Por isso, agora você confere o Top 5 dos melhores livros que tive a oportunidade de conferir em 2016:

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Amigo Secreto BLC: Blog Imagine Maria

     O tema do grupo Blogagem Literária Coletiva desse mês é o Amigo Secreto. A brincadeira, que é uma tradição nas comemorações de fim de ano chegou à nossa "família virtual" de uma forma muito interessante. Cada integrante do grupo deve fazer uma postagem falando sobre o blog da pessoa que você sorteou. No meu caso, a amiga secreta sorteada foi Maria Mariana, que é blogueira do Imagine Maria.

Imagine Maria: sempre mantendo seus seguidores atualizados sobre as principais novidades do mundo dos livros, filmes e séries.

      Compartilhar sua paixão por livros, filmes, séries, músicas e etc., foi a motivação primordial para que Maria criasse o blog. Atualmente, ela divide o comando do mesmo com sua amiga, Lara. Com uma linguagem pragmática e resoluta, o Imagine Maria se destaca por possuir uma identidade singular entre os diversos blogs que encontramos nesse oceano virtual. É possível notar que tudo que as autoras compartilham com seus leitores, por meio de seus textos e imagens, são feitos produzidos com muita afeição, que vem direto do coração. Prova disso são seus posts, sempre carregados de muito entusiasmo e sentimento, algo que só quem ama o que faz é capaz de transmitir aos seus leitores.


O Imagine Maria está presente nas principais redes sociais. Tudo aquilo que é assunto no Blog ou na vida das autoras, percorre todas as mídias até nos alcançar. Como por exemplo na página do blog no Facebook, onde as principais postagens e até mesmo trailers de filmes são compartilhadas com seus seguidores. No perfil do blog no Instagram, acompanhamos os principais registros das autoras, onde cada leitura é um flash! E para saber o que está acontecendo e as principais atualizações? É só segui-las no Twitter! Já no Skoob, acessamos a estante do blog e descobrimos o que estão lendo, quais livros já leram e quais querem ler, além de outras informações.

     Então é isso, pessoas. Espero que tenham gostado de conhecer um pouco sobre o blog Imagine Maria. Participar desse projeto está sendo uma experiência diferente, gratificante e muito interessante. Quanto às autoras do blog, Maria e Lara, eu desejo um 2017 cheio de ótimas conquistas e repleto de novas e felizes experiências com mais livros, séries, filmes, etc.

sábado, 17 de dezembro de 2016

[Resenha] "O Regresso", por Michael Punke

     Mais que uma narrativa sobre vingança, "O Regresso" é, sobretudo, uma história de sobrevivência. 

     A obra de Michael Punke, que ganhou as telas do cinema em 2016 no premiado longa-metragem protagonizado por Leonardo DiCaprio, retrata a trajetória de um homem determinado a acertar contas com dois traidores e sua incansável luta pela vida.

      Baseado em eventos reais e escrito em uma prosa arrebatadora, "O Regresso" é uma singular história de obsessão, um romance sobre um homem cuja vida foi ao mesmo tempo salva e condenada pela sede de vingança.

sábado, 10 de dezembro de 2016

[Lembranças] Os 15 anos da Reprise de "História de Amor" no Vale a Pena Ver de Novo


      No dia 10 de dezembro de 2001, um grande sucesso de Manoel Carlos (o melhor trabalho do autor, na minha opinião) voltava a ser exibido. "História de Amor" retornava à tela da Globo no Vale a Pena Ver de Novo, substituindo a reprise de "A Gata Comeu".

     Mas por que essa data merece ser celebrada? Eu explico: foi nessa exibição que tive o primeiro contato com a trama, já que em 1995 eu não a acompanhei devido à pouca idade. "História de Amor"  retratava as diversas maneiras de amar em meio aos conflitos cotidianos. E Regina Duarte estrelava a novela, interpretando sua primeira "Helena" de Manoel Carlos.

     Em "História de Amor", entre a gravidez precoce de sua filha Joyce (Carla Marins) e a difícil relação com a mesma, Helena conhece Carlos (José Mayer) e ambos se apaixonam. Mas o médico é casado com a mimada Paula (Carolina Ferraz); e pra completar, ainda sofre com as investidas de Sheila (Lilia Cabral), que não conseguiu se desapegar do ex-namorado.

     Além da trama central, diversos temas foram os destaques da novela: o desejo obsessivo de ser mãe, violência contra a mulher, gravidez na adolescência, câncer de mama e deficiência física.

Além da cidade maravilhosa, Teresópolis, RJ, foi um dos cenários da "História de Amor" de Carlos e Helena (Foto: Reprodução/TV Globo)
      Para mim, o maior destaque de "História de Amor", sem dúvidas, foi sua protagonista, a Helena. Regina Duarte se entregou de uma forma tão intensa à personagem, que sempre que ouço o nome da atriz, logo associo à personagem, graças ao seu excelente desempenho na novela. Em cena, era possível notar a satisfação da atriz com seu trabalho pelo brilho em seus olhos e a espontaneidade. Até hoje considero como o melhor trabalho da atriz na televisão e a minha Helena preferida.

     A reprise de "História de Amor" totalizou 145 capítulos e rendeu audiência acima da meta, consolidando-se um grande sucesso e comprovando que merece ser sempre lembrada!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O Reencontro de Carina e André: a grande virada de "Pai Herói"


     Com o anúncio da estreia de "Pai Herói" no Viva, criei as melhores expectativas em relação à trama de 1979. Eu já tinha uma imensa curiosidade em assisti-la devido a sua excelente trilha sonora internacional ("Sharing The Night Together", Dr. Hook, é minha canção preferida) e a chance de conferir esse clássico de Janete Clair, na íntegra, era imperdível.

     No ar, após os dois primeiros capítulos empolgantes, o entusiasmo pela trama protagonizada por Tony Ramos e Elizabeth Savalla foi se esvaindo conforme a história seguia. Logo, "A Gata Comeu" estreou e, sorrateiramente, engoliu meu coração e monopolizou para si toda a atenção. E "Pai Herói" ficou um pouco de lado, embora eu ainda acompanhasse os principais acontecimentos pelas matérias do site do Viva e pela internet rede à fora.

    Sim, estava um pouco decepcionado. Além dos personagens pouco carismáticos (apenas a protagonista Carina alimentou um pouco meu interesse pela novela; a ingenuidade exorbitante de André me irritou extremamente), eu não sentia ligação com a história e também não sentia conexão entre as histórias de Carina e André. E para mim isso era incomum, pois eles formavam o casal protagonista! E, no entanto, apenas se encontraram nos dois primeiros capítulos... Por que estavam tão distantes um do outro a ponto de parecer estar assistindo duas novelas em uma?

    Há pouco tempo, em uma das inúmeras matérias sobre "Pai Herói" na internet, soube que na época da exibição original da novela, a autora Janete Clair havia definido desde o início que André terminaria história nos braços de Ana Preta (Gloria Menezes), mas que diante da boa recepção do público com o casal #Andrina (ou #Caridré?), ela resolveu mudar o destino deles. Diante de inúmeras cartas e ligações, Janete Clair não teve saída e, pela primeira vez, mudou o destino dos personagens para agradar aos telespectadores (obrigado, público de 79!). Foi por essa descoberta que entendi o motivo de eles quase nunca se encontrarem. Os intérpretes, Tony Ramos e Elizabeth Savalla, já haviam contracenado como casal na novela anterior de Janete Clair, "O Astro" (1977), na qual interpretaram, respectivamente, Marcio Hayalla e a taxista Lili e obtiveram o mesmo êxito.

     Pelo menos há duas semanas, cheguei a comentar nas redes sociais o quanto estava descontente com a trama e um amigo e seguidor, que assistiu a novela, disse que ela só engrenava a partir do capítulo 32, onde aconteceria o reencontro de Carina e André. André entraria escondido no apartamento da bailarina e a renderia, pois estaria fugindo da polícia pelo assalto a um supermercado, que ele acabara se envolvendo sem saber (olha a ingenuidade da criança!), por influência do "amigo", o tratante do Pepo (Osmar Prado) e mais um comparsa. Rendida, Carina ajuda o atrapalhado André a se esconder da polícia, mas não o reconhece e nem se lembra que já foi salva por ele em Paço Alegre. Ela estava sozinha em seu apartamento, se embriagando, totalmente deprimida por ter perdido a guarda de sua filha, Ângela, para o ex-marido, César (Carlos Zara).

     E, finalmente, neste eletrizante capítulo, que fiz questão de assistir, que tornei a acompanhar "Pai Herói". Agora, conto os segundos para desfrutar de mais um capítulo e descobrir como vai se desenrolar essa história. Ficou nítido a mudança de ares da novela. É como se as peças do quebra-cabeça finalmente começassem a se encaixar!

     Para finalizar, não posso deixar de elogiar a parceria de Tony Ramos e Elizabeth Savalla em cena. O reencontro dos dois e a forma como tudo inesperadamente aconteceu, cada um com seus problemas, as dúvidas... enfim, um gancho e tanto para uma história arrebatadora, clássica e vibrante.

Mesmo sem se darem conta de que estão apaixonados, André e Carina se beijam. (Imagens/reprodução/TV Globo/CanalViva)


domingo, 20 de novembro de 2016

[Lembranças] Os 10 anos da novela "Pé na Jaca"


     E lá se vão dez anos desde a estreia de "Pé na Jaca" no horário das sete, na Globo. No dia 20 de novembro de 2006, a trama escrita por Carlos Lombardi e dirigida por Ricardo Waddington estreou com missão quase impossível de manter os ótimos índices de audiência e a repercussão de "Cobras & Lagartos" - novela anterior no horário. Bem, ela não chegou muito perto da meta estabelecida, mas também não fez feio e conquistou uma legião de fãs e até hoje é lembrada com muito apreço pelos mesmos.

     Antes da estreia, eu confesso que fiquei com um pé atrás com a novela. Acredito que o motivo era a implicância que sempre tive com o trabalho do autor da novela. Até então eu não havia apreciado suas novelas e séries/minisséries. Inclusive, algumas delas estão na lista das que eu mais detestei até hoje. Com exceção, é claro, daquelas que ainda não assisti, como "Vereda Tropical" (1984) - essa eu tenho certeza que vou gostar -, "Bebê a Bordo" (1988) e "Perigosas Peruas" (1992).

     No ar, "Pé na Jaca" me conquistou de imediato. A começar pela divertida abertura, que mostrava a animação dos animais em uma fazenda, enquanto aprontavam todas, dançando e cantando ao som de "Eu Ando OK", na voz de Zizi Possi. É uma das mais marcantes e uma das minhas preferidas.

     Em seu desenvolvimento, "Pé na Jaca" se mostrou uma novela leve, ágil, extremamente engraçada e com um enredo muito interessante. Basicamente se tratava do reencontro de cinco amigos de infância: Arthur (Murilo Benício), Maria (Fernanda Lima), Elizabeth (Deborah Secco), Guinevere (Juliana Paes) e Lancelotti (Marcos Pasquim), que após 25 anos voltavam à Deus me Livre, no interior de São Paulo, dispostos a recomeçar suas vidas. Mas a morte do homem mais rico da região, o Último Botelho Bulhões (Fulvio Stefanini) e o mistério sobre o seu herdeiro desencadeou uma caça à fortuna, temperada por divertidas confusões amorosas.

     
     A trilha sonora também é merecedora de elogios. Para a novela, a Globo lançou apenas um álbum, cuja capa era estampada por alguns dos animais que fizeram sucesso na abertura. Foi uma grande ideia! Composto por 17 faixas, o álbum reunia grandes nomes da música brasileira, como Caetano Veloso, Marisa Monte, Lenine, Milton Nascimento, Elis Regina, Ângela Rô Rô e Maria Bethânia. Aliás, Bethânia interpretava a minha canção preferida na novela, "Cheiro de Amor", que embalava o atrapalhado romance de Lancelotti e Maria.

      Quando estreou, "Pé na Jaca" dividiu a grade da Globo por um bom tempo com dois grandes sucessos que estavam no ar, na época: a romântica e espiritualista "O Profeta", exibida às seis; e a dramática "Páginas da Vida", às oito. No Vale a Pena Ver de Novo, "Chocolate com Pimenta" ganhava sua primeira reprise, sendo substituída por "Era Uma Vez..." dois meses depois.

     Com um final harmonioso, "Pé na Jaca" teve seu último capítulo exibido em uma sexta-feira, dia 15 de junho de 2007, totalizando 179 capítulos ao longo de sete meses. Foi substituída por "Sete Pecados", novela de Walcyr Carrasco e com direção de Jorge Fernando, que estreou na segunda-feira seguinte.

sábado, 19 de novembro de 2016

[Resenha] "O Casamento", por Nelson Rodrigues

     Um livro extremamente polêmico, "O Casamento" foi publicado há 50 anos. E no mesmo ano, menos de dois meses após seu lançamento, o romance de Nelson Rodrigues teve sua circulação proibida. Era uma época ditatorial e "O Casamento" era considerado como "um atentado contra a instituição da família", subversivo e indecoroso.

     No mês de agosto, "O Casamento" foi indicado pela escritora Heloisa Seixas como o livro do mês da TAG - Experiências Literárias, um clube de assinaturas de livros do qual passei a fazer parte há pouco tempo.

     Por nunca ter lido qualquer livro de Nelson Rodrigues e pela história ousada e instigante, encomendei meu kit à TAG e embarquei na trama, cuja resenha você pode conferir nesta postagem:

domingo, 13 de novembro de 2016

[Sinopse] "À Primeira Vista", por Nicholas Sparks

     Sequência do romance "O Milagre", o livro "À Primeira Vista" entra para a lista dos romances de Nicholas Sparks que ganharam uma nova edição - dessa vez com uma capa mais bonita e contextualizada, como vem acontecendo com a maior parte dos livros lançados pela editora Arqueiro e alguns títulos publicados por outras editoras.

     Assim como "O Casamento", que também foi contemplado com uma nova edição, "À Primeira Vista" retrata as complexidades do matrimônio, mas fala basicamente sobre a importância da confiança entre o casal, levantando a questão: será que de fato é possível amar alguém à primeira vista?

sábado, 12 de novembro de 2016

[Sinopse] "O Casamento", por Nicholas Sparks

     Escrito por Nicholas Sparks e publicado no Brasil em 2012, o romance "O Casamento" acaba de ganhar uma nova edição da editora Arqueiro. 

     O autor já afirmou que "O Casamento" não é propriamente uma sequência de "Diário de Uma Paixão"; e sim, a história da geração seguinte à de Noah e Allie.

     Focada na tentativa do personagem Wilson em reconquistar o amor de sua esposa, Jane, o empolgante romance comprova a genialidade de seu autor, com um final carregado de muitas surpresas e grandes emoções, transmitindo uma mensagem de esperança e renovação.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

2016 não termina sem que eu leia "O Regresso"!


     E o ano de 2016 está quase terminando. De seu início até agora, li um bom número de livros, acompanhei muitas histórias, conheci diversos personagens... E até o fim do ano pretendo ler mais alguns títulos. E é sobre um deles que comentarei hoje.
      Seguindo com o projeto BLC - Blogagem Literária Coletiva -, o tema desse mês de novembro está relacionado com as metas que estabelecemos durante o ano:

"Dezembro está chegando, e com ele o corre corre do fim do ano. Mas ainda dá tempo de colocar em prática algumas das promessas de início de ano. O que você ainda quer fazer este ano? Ler aquele livro? Conhecer a escrita daquele autor? Concluir um projeto literário? Afinal, 2016 não acaba sem que eu..."

     Com o tema proposto, a primeira ideia que veio em minha mente foi falar sobre um livro que tenho muita vontade de conhecer desde o seu lançamento (12/01). Trata-se de "O Regresso". Escrita por Michael Punke, a obra se tornou conhecida no Brasil por sua adaptação cinematográfica - dirigida por Alejandro González Iñárritu -, estrelada por Leonardo DiCaprio, que foi a grande vencedora do Globo de Ouro nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator Principal.


      Além disso, "O Regresso" rendeu diversas indicações ao Oscar, sendo premiada nas categorias de Melhor Ator, Melhor Diretor e Melhor Fotografia. Essa foi a primeira vez que DiCaprio levou a estatueta do Oscar para casa, após 5 indicações. O ator, que hoje (11/11) completa 42 anos, interpreta Hugh Glass, caçador da Companhia de Peles Montanhas Rochosas atacado por um urso-cinzento e depois abandonado pelos companheiros, que levam suas armas e suprimentos. Entre delírios, Glass é tomado por um único desejo: vingança.

     "O Regresso" foi publicado no Brasil pela editora Intrínseca, traduzido por Maria Carmelita Dias. Com sua impressionante sinopse, o livro entrou para minha lista de futuras leituras desde quando soube de seu lançamento. E por esse motivo, 2016 não termina sem que eu leia "O Regresso" (risos)!

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

[Sinopse] "O Amor em Primeiro Lugar", por Emily Giffin

     Emily Giffin, famosa por escrever histórias que melhor retratam a vida moderna, as relações familiares e os dilemas pessoais, acaba de ter mais um livro lançado no Brasil pela editora Novo Conceito.

     "O Amor em Primeiro Lugar" narra a trajetória de duas irmãs, Josie e Meredith, que, após uma tragédia familiar, veem suas vidas mudarem gradativamente. Uma fascinante história sobre família, amizade e a coragem de seguir o próprio coração.

O tempo é uma coisa complicada. Quando você quer aproveitar algo, o tempo passa voando. Quando você quer superar algo, ele se arrasta eternamente.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Quebrando Uma Maldição Literária: "Riacho Doce"


     Comecei a fazer parte de um projeto muito bacana: o Blogagem Literária Coletiva. Nele, todo mês é proposto um tema e todos os blogueiros participantes devem desenvolvê-lo em seus respetivos blogs.
     O tema do mês de outubro é "Maldição Literária":

"Nesse dia das Bruxas, imagine que você pode quebrar ou lançar uma maldição literária. Sabe aquele personagem que fez tudo errado e mesmo assim se deu bem no final? Ou aquele mocinho que levou a pior o tempo todo? Essa é a sua chance de mudar as coisas. De quem você mudaria a história, o final, ou qualquer coisa que te desagradou, quebrando assim a maldição? Ou quem você amaldiçoaria fazendo pagar pelos seus erros? E como?"

     A princípio, quando me deparei com o tema, fiquei muito empolgado! Não sou o tipo de leitor que costuma querer mudar o final das histórias; acho que os autores sabem o que é melhor para as suas obras. Além disso, os finais que costumo idealizar (felizes ou não), às vezes são tão previsíveis que até fico satisfeito com o final que seus autores escolheram, independente de terem me agradado ou não. Valorizo mais a surpresa e o impacto que eles causam.
     Mas a proposta do projeto é tão interessante, num contexto tão bacana, que é impossível não se contagiar e abraçar a ideia.
     Agora, difícil foi escolher a obra e o personagem para quebrar ou lançar uma maldição. Bem, li mais de 300 livros... Qual deles escolher? Enfim, depois de passar quase o final de semana inteiro, acredito que não poderia ter escolhido história/personagem melhor! Trata-se do final dos personagens Edna e, do romance "Riacho Doce", do autor José Lins do Rego.

     AVISO!  Infelizmente, serei obrigado a revelar alguns spoilers da obra. Sério, detesto spoilers! E por isso, preferi avisar aos leitores. Se você, leitor, ainda não leu "Riacho Doce", mas pretende, e não gosta de spoiler, por favor, não continue a leitura!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Novela "Avenida Brasil" é lançada em DVD

     Um dos maiores sucessos da Globo dos últimos anos, "Avenida Brasil", é a próxima novela a ser lançada em DVD.

     Exibida em 2012, a trama de João Emanuel Carneiro, dirigida por Ricardo Waddington, foi um grande sucesso de audiência e, principalmente, repercussão.

     Alguns meses após o seu final, "Avenida Brasil" foi exibida no quadro Novelão, do Vídeo Show, em 15 capítulos.

     Em 2013, foi indicada ao Emmy Internacional na categoria de melhor novela, mas "Lado a Lado" foi escolhida.

     O box de "Avenida Brasil", que será lançado em novembro e que, atualmente, se encontra em fase de pré-lançamento, contém 12 discos, com o total de aproximadamente 32 horas de duração.



     Carminha (Adriana Esteves), a esposa doce e dedicada de Genésio (Tony Ramos), também é Carminha, a madrasta dissimulada e má de Rita (Mel Maia). Junto com seu amante, Max (Marcello Novaes), armou para Genésio perder tudo o que tinha e abandonou Rita no lixão. Rita, aos cuidados do asqueroso Nilo (José de Abreu) e da Mãe Lucinda (Vera Holtz), conheceu o seu amor de infância, Batata (Bernardo Simões), futuro Jorginho (Cauã Reymond), mas logo foi adotada por um casal de argentinos, mudando seu nome para Nina. O que Carminha não esperava é que Nina (Débora Falabella) voltasse ao Brasil doze anos depois com um plano de destruir lentamente a sua vida como sua própria cozinheira.

sábado, 22 de outubro de 2016

[Sinopse] "Rock Story", de Maria Helena Nascimento


Uma história de amor movida a música e uma história de música movida a amor.

      "Rock Story", a nova novela das sete - que substitui "Haja Coração" a partir de novembro -, marca a estreia de Maria Helena Nascimento como autora principal de uma novela. Antes ela já havia trabalhado como co-autora em diversas novelas, como "Alto Astral", "Insensato Coração", "Paraíso Tropical", "Celebridade", "Suave Veneno" e "Pátria Minha".

     Com direção artística de Dennis Carvalho, "Rock Story" narra a trajetória do roqueiro Gui Santiago, interpretado por Vladimir Brichta, e todos os seus percalços. Nathalia Dill, que participa de sua terceira novela só neste ano, dá vida à protagonista Julia e também sua irmã gêmea, Lorena.

      Rafael Vitti, Caio Paduan, Ana Beatriz Nogueira, Nicolas Prattes, Paulo Betti, Suzy Rêgo, Alinne Moraes, entre outros, integram o elenco dessa comédia romântica que promete muita diversão e música nas noites da Globo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

[Sinopse] "O Som do Amor", por Jojo Moyes

     A editora Intrínseca anunciou o lançamento de mais um romance de Jojo Moyes: "O Som do Amor". Pelas minhas contas, já é o 4º livro da autora lançado só neste ano! Os demais foram: "Baía da Esperança", "O Navio das Noivas" e o mais recente, "Nada Mais a Perder".

      Após a excelente experiência com "Baía da Esperança", Jojo Moyes conquistou meu respeito como autora, dessa forma, pretendo acompanhar e conferir todas as suas obras.

     "O Som do Amor" apresenta uma história interessante e  que, provavelmente, comoverá a todos os leitores. E também é possível prever a galeria de personagens carismáticos, capazes de tudo para concretizar seus objetivos. Obsessão, manipulação, segredos e paixões são os principais temas do novo romance de Jojo Moyes que, com seu estilo inconfundível, narra uma brilhante história sobre recomeços.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

[Resenha] "O Quarto Dia", por Sarah Lotz

     Segundo romance de Sarah Lotz lançado no Brasil, "O Quarto Dia" foi publicado pela editora Arqueiro no início desse ano. Com grandes doses de suspense, mistério e terror, a obra foi uma das experiências literárias mais incomuns que já tive a oportunidade de conferir.

      Fui apresentado ao livro através do site da editora, quando ele ainda estava na fase de pré-lançamento. Desde o momento em que bati os olhos na capa - bastante enigmática - e no título - curioso -, meu interesse na leitura foi despertado imediatamente.

     Quando li a sinopse, criei as melhores expectativas, devido à sua história pouco comum - algo que até então eu nunca tinha visto. Apenas fiquei um pouco receoso com relação à sua qualidade, pois na rede social, Skoob, ele não era tão bem avaliado pelos usuários. Não que isso fosse garantia de alguma coisa, mas nós sempre ficamos com um pé atrás diante de críticas negativas.

     Após iniciar a leitura, acabei surpreendido ao constatar o quanto estava gostando daquela história. E o engraçado é que, a cada capítulo, eu me perguntava: "Será que é agora que a história vai começar a ficar ruim?" (risos); porém não aconteceu. A escrita de Lotz, seu estilo narrativo, a galeria de personagens, enfim, inúmeros foram os aspectos que me agradaram. E quanto mais lia, mais sentia vontade de prosseguir na leitura. E para mim, o livro que causa essa euforia nos leitores é, no mínimo, admirável.

     Se for para destacar um ponto negativo em "O Quarto Dia", não tenho muito a dizer. Talvez a única coisa que me incomodou um pouco foi durante a mudança do foco dos personagens, na qual cada capítulo o ponto de vista da história varia entre os principais personagens. Em determinados personagens, quando a história retornava ao ponto de vista dele, parecia não continuar de onde parou. E isso me deixou confuso em alguns momentos, que foram poucos, aliás. Ainda bem.

Nota:     

domingo, 4 de setembro de 2016

[Sinopse] "A Lei do Amor", de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari


      "A Lei do Amor" é a próxima novela das nove. É também a estreia dos autores Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari no horário. A dupla foi responsável pelas novelas "Ti Ti Ti" (2010) e "Sangue Bom" (2013) no horário das 19h. 

      Prevista para ir ao ar a partir do dia 03 de Outubro, "A Lei do Amor" substitui a novela "Velho Chico", e conta com a direção artística de Denise Saraceni, com quem Maria Adelaide Amaral já trabalhou na novela "Anjo Mau" (1997), atualmente exibida no Vale a Pena Ver de Novo.

     Narrando uma história de amor repleta de de encontros, separações, poder, luta pelo justo e, sobretudo, uma trama de amor e toda força que esse sentimento move, "A Lei do Amor" promete arrebatar a atenção dos telespectadores.

sábado, 3 de setembro de 2016

[Resenha] "Eu Sem Você", por Kelly Rimmer

     Você seria capaz de abrir mão da felicidade em benefício de alguém que muito ama? Conseguiria se afastar dela a fim de não lhe causar sofrimento?

     São questionamentos bastante complicados de serem respondidos, pois acredito que nossa resposta dependerá de muitos fatores. A princípio, talvez nossa resposta seja positiva. E essa "generosidade" é bastante admirável. Mas será que nos afastar de quem amamos irá, de fato, poupar seu sofrimento?

     Em "Eu Sem Você", romance de estreia da autora Kelly Rimmer, lançado neste ano pela editora Arqueiro, esses são um dos principais questionamentos que movem as ações da personagem Lilah, a protagonista. Lilah é uma advogada, apaixonada por sua profissão, desapegada, vegetariana e ambientalista. Ao voltar para casa após um dia extremamente cansativo, ela conhece Callum, um publicitário, carnívoro e metódico. Apesar de possuírem estilos de vida tão diferentes, uma atração mútua ocorre entre eles. A princípio, Lilah coloca inúmeros obstáculos a uma possível relação, mas mesmo com todas as diferenças, Callum sente-se cada vez mais animado e esperançoso. Só que ele não faz ideia de que Lilah está passando por um dilema que pode afetar profundamente o relacionamento deles.

     Conheci o livro "Eu Sem Você" pela página da editora no Facebook. O título me despertou interesse, assim como a belíssima capa que prepararam para ele. Já a sinopse apresentada, não mostrou muito o que poderíamos esperar da história. Mas um dos principais fatores que me influenciaram a ler "Eu Sem Você" foi a crítica do site Goodreads: "Se você é fã de Jojo Moyes, David Nicholls e Nicholas Sparks, então irá amar Eu Sem Você”. Por conhecer e admirar o estilo de Moyes e Sparks, essa referência me convenceu por completo. Nicholls eu ainda não conheço, mas ouvi muitos elogios aos seus romances.

     A primeira metade de "Eu Sem Você" foi, sem dúvidas, o melhor da obra. Havia nele uma sintonia muito forte entre humor e paixão, algo poucas vezes visto nos livros por mim até hoje. A sintonia entre o casal protagonista era a grande responsável pelo bom êxito do romance. Resumindo: uma história promissora, com personagens grandiosos e um início extremamente empolgante.

     Já na segunda metade, notei que houve uma mudança no cenário. O ritmo da narrativa diminuiu bastante e os acontecimentos levaram um tempo desnecessário para, enfim, se concretizarem. Outro ponto que me desagradou um pouco foi a forma como os principais mistérios do enredo foram revelados. Tudo aconteceu de forma tão morosa, que não me causou o impacto que eu esperava da história. Mas acredito que essa tenha sido a intenção da autora; proporcionar uma narrativa branda sobre uma história enternecedora.

     O que mais me marcou na leitura do romance e que me trará boas recordações de sua história é a generosidade e o amor que Lilah e Callum demonstraram um pelo outro durante toda a trajetória deles.

     "Eu Sem Você" é um romance espirituoso e comovente. Ao mesmo tempo em que nos contagia com seus momentos de pura simplicidade, ele também nos deixa dilacerados ao nos colocar de frente a uma verdade imutável: que precisamos valorizar cada vez mais os nossos momentos de alegria e a presença de quem amamos. Pois o tempo é implacável e aqueles que amamos nem sempre poderão estar ao nosso lado a todo momento.


Nota:      

sábado, 20 de agosto de 2016

[Resenha] "A Geografia de Nós Dois", por Jennifer E. Smith

 Ficar preso dentro de um elevador durante um apagão não deve ser agradável, não é mesmo? Mas para os personagens Lucy e Owen, o que era para ser desagradável, acabou transformando a vida dos dois de forma definitiva. Em "A Geografia de Nós Dois", romance de Jennifer E. Smith, lançado pela editora Galera Record neste ano, a distância é o maior obstáculo para o amor entre dois jovens.

     Nem Owen, nem Lucy foram os mesmos depois de terem se conhecido naquele momento enfadonho. Ambos moravam no mesmo prédio em Nova York, mas nunca haviam se falado. Porém, tudo muda a partir de então. Sem notarem com clareza o que estão sentindo, ambos se tornam grandes amigos. Mas a amizade criada pelos dois poderia estar com os dias contados. Owen se muda de Nova York e Lucy também estava prestes a viver em outro país. Embora se correspondessem por meio de cartões e mensagens eletrônicas, em cada lugar onde viviam, Lucy e Owen sentiam cada vez mais que alguma coisa estava faltando. E o sentimento que os unia, apesar da distância, crescia cada vez mais. Até quando eles deixariam que a geografia os separassem?

     Tentando quebrar um pouco a sequência de livros lidos das mesmas editoras de sempre (Arqueiro, Intrínseca e Novo Conceito), resolvi variar. Ao ler o título de "A Geografia de Nós Dois" no site da Galera Record, fiquei bastante curioso para saber do que se tratava. E achei engraçado, pois estava prestes a ler outro livro com título parecido, "A História de Nós Dois", mas com temas bem diferentes. Apesar da curiosa semelhança, adicionei à lista "Quero Ler".

      A sinopse, assim como o título, ganhou minha simpatia. Então, criei as melhores expectativas possíveis a respeito do livro. Não havia muito no que me basear, afinal, a autora era desconhecida por mim, e as referências aos seus outros romances eram muito boas. Ou seja: não havia motivos para ficar com pé atrás na leitura.

     Porém, "A Geografia de Nós Dois" se mostrou bem diferente do que eu esperava. Bem, seus personagens são muito bem desenvolvidos, suas tramas são bastante críveis (até demais, ouso dizer), mas mesmo assim o livro deixou bastante a desejar; pelo menos para mim foi o que aconteceu.

     Depois de um início promissor, um pouco depois que Lucy e Owen se separam, achei que a história ficou muito arrastada e monótona. Uma sucessão de descrições irrelevantes e acontecimentos sem nenhuma importância tomaram conta do livro e eu não via a hora de terminá-lo logo. Algo que me marcou negativamente no livro foi as intermináveis exposições dos países por quais os personagens passaram. Acabou virando uma aula chata de Geografia, e olha que eu gostava muito dessa matéria, hein! Talvez se a autora tivesse dado ainda mais ênfase nas relações dos protagonistas com seus pais e com as outras pessoas com que eles se relacionaram ao invés de descrever os lugares e os costumes, as coisas teriam sido diferentes. Mas se levarmos em conta o título, talvez, tudo que eu não curti na história, fosse exatamente o que a autora queria passar? Não sei, mas não me agradou.

     E para compensar seu triste desenvolvimento, até que achei o final muito bacana. Li as últimas páginas com certa rapidez, devido ao meu súbito interesse na história, após dias querendo abandoná-la.

     Mas não desisto de Jennifer E. Smith. Pretendo conferir outros de seus romances: "A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista"  (2013) e "Ser Feliz é Assim" (2014), todos os dois lançados pela Galera Record.

     Com um início promissor, desenvolvimento maçante e um final empolgante, "A Geografia de Nós Dois" termina abaixo das minhas expectativas, mas com grandes ensinamentos. E apesar da experiência não muito animadora, seu enredo diferente e seus personagens cativantes fizeram valer a pena.

Nota:   

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

[Resenha] "A História de Nós Dois", por Dani Atkins

     Após a excelente experiência com o primeiro livro de Dani Atkins, "Uma Curva no Tempo", lançado pela editora Arqueiro no ano passado, nada mais natural que nós, leitores, tivéssemos interesse em conhecer outras obras da autora.

     Quando pesquisei sobre a carreira de Dani Atkins, outros dois livros escritos por ela me chamaram atenção, entre eles o "Our Song", que pelo pouco que li sobre ele, me pareceu bastante envolvente; logo imaginei que ele seria o próximo a ser lançado no Brasil. Mas quando entrei em contato com a editora, eles me informaram que "A História de Nós Dois" já estava com lançamento marcado. Mesmo assim fiquei contente, pois ele também me pareceu um livro bastante interessante.

     Após o lançamento de "A História de Nós Dois", eu o adquiri imediatamente, embora precisasse adiar sua leitura em alguns meses, pois haviam outros títulos na lista de espera para serem lidos há mais tempo.

     O livro conta a história de Emma Marshall que, ao retornar de sua despedida de solteiro com suas melhores amigas, Amy e Caroline, sofre um grave acidente, quase perde a vida, mas é salva por Jack Monroe, um escritor que, por sorte, estava passando pela estrada poucos minutos após o acidente. Desde o momento em que Jack retira Emma do carro que estava prestes a explodir, a nossa protagonista sente uma estranha ligação com o forasteiro, que está na cidade apenas por um tempo até finalizar as pesquisas para o seu próximo romance. Emma atribui esse novo sentimento ao fato de Jack ter salvo sua vida, mas no fundo, ela se sente aliviada quando ela e seu noivo, Richard, decidem adiar o casamento devido às consequências do acidente.

      As semanas se passam e Emma fica cada vez mais envolvida por Jack, e sabe que o sentimento por ele é recíproco. E isso fica ainda mais evidente quando segredos do passado a atingem como uma forte onda, que abala tudo aquilo que ela imaginava ter construído durante toda sua vida. Mesmo assim, Emma não consegue decidir que caminho deve seguir. Apesar de de sua relação com Jack lhe causar sensações que ela nunca sentiu na vida e ser o único que a entende, é com Richard que ela estava prestes a se casar, e é ele quem ela sempre amou, desde criança.

      Quem conhece o estilo de Atkins, sabe que essa história aparentemente clichê nas mãos da autora rende momentos de drama, tensão, suspense e descobertas surpreendentes. Acredito que é impossível não criar boas expectativas. E, de fato, foi o que aconteceu. Não acreditei que "A História de Nós Dois" me surpreenderia mais que "Uma Curva no Tempo", mas confesso que chegou muito próximo disso.

      "A História de Nós Dois" já começou provocando fortes comoções. Algo que não está previsto na sinopse acontece, me causando espanto nos primeiros capítulos. Tal fato nos deixa apreensivos para saber o que acontece a seguir, de modo que a leitura flui de forma extremamente rápida. 

     Além da trama central, outro tema retratado no romance é a Alzheimer. E isso faz com que o livro fique ainda mais emocionante, pois é retratado com muita delicadeza. É uma das partes que nos deixa mais sensibilizados, porque, mesmo na ficção, é enternecedor ver uma personagem com um passado grandioso, repleto de conquistas, ter suas memórias e outras importantes funções cognitivas sendo danificadas gradativamente.

     Mas não é só de momentos de melancolia que vivenciamos na leitura de "A História de Nós Dois". As situações cômicas também estão presentes. Monique, a proprietária da livraria onde Emma trabalha é uma das principais responsáveis pelos momentos de humor do romance, além da própria Emma, que arranca boas risadas em algumas situações, digamos, constrangedoras.

      De aspectos negativos, não há muito o que dizer. Apenas o quanto achei o personagem Richard insuportável. Sério, dava vontade de jogar o livro longe quando ele se comportava da forma mais cretina possível. Aliás, as partes mais chatas eram exatamente nas cenas em que ele estava presente. Nem mesmo suas boas atitudes no final (que me soaram bastante suspeitas, aliás) me tiraram a péssima impressão que fiquei dele.

     Uma importante lição que podemos tirar de "A História de Nós Dois" é que não devemos fazer escolhas na nossa vida pensando apenas na felicidade de segundos e terceiros. Pode parecer egoísta, mas não é. Só faremos as pessoas ao nosso redor se sentirem felizes, se também estivermos felizes. Isso pode não ficar evidente no início, mas com o tempo é o que acontece.

     Com mais um romance, Dani Atkins consegue me surpreender e superar minhas expectativas. É uma autora que, a  cada trabalho, comprova seu imenso talento. E é com ansiedade que vou aguardar e torcer muito para que outros livros de sua autoria sejam lançados. 


Nota:     

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

[Sinopse] "Um Porto Seguro", por Nicholas Sparks

     Assim como "O Guardião", outro livro de Nicholas Sparks que ganha uma nova edição é "Um Porto Seguro". E dessa vez, a responsável pelo relançamento do livro é a editora Arqueiro. Em 2012, o romance foi publicado pela primeira vez no Brasil pela editora Novo Conceito. E em razão do lançamento do filme, ganhou uma nova edição com capa inspirada no cartaz do longa protagonizado pelos atores Julianne Hough e Josh Duhamel.

     Repleto de suspense e ação, "Um Porto Seguro" faz parte do grupo de obras do Sparks que fogem um pouco do estilo do autor, onde a tensão e o mistério se revezam nos momentos de romantismo e emoção. Algo semelhante ao que podemos conferir em "O Guardião" e "No Seu Olhar", por exemplo.

     A capa escolhida para a nova edição merece elogios. Além de se ajustar ao enredo de "Um Porto Seguro", segue ao padrão das obras mais recentes do autor. A nova edição será lançada no dia 12 de Setembro.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

[Sinopse] "O Guardião", por Nicholas Sparks

     Um dos melhores romances de Nicholas Sparks, "O Guardião" acaba de ganhar uma nova edição pela editora Arqueiro.

      Seu lançamento no Brasil aconteceu no ano de 2013, tornando-se um grande sucesso de vendas e de críticas positivas entre os leitores. Aliás, ele é um dos livros do Sparks mais bem avaliados na rede social Skoob.

     "O Guardião" foi um dos romances que mais me surpreenderam. Assim como "Um Porto Seguro" e o mais recente "No Seu Olhar", ele foge bastante do estilo que estamos acostumados a ver nos demais livros do autor, enveredando por um trajeto de investigação e muito suspense. Lembro que na segunda metade de "O Guardião", cheguei a me indagar se estava realmente lendo um livro do Sparks ou uma das obras de suspense de Harlan Coben (risos). Brincadeiras à parte, fiquei contente com o relançamento. Agora sim temos uma capa autêntica e mais condizente com a história e o título.

     O novo lançamento de "O Guardião" está marcado para o dia 12 de Setembro. Enquanto isso, você pode conferir as principais informações e a sinopse do romance: