quinta-feira, 12 de outubro de 2017

[Top 5] As Melhores Animações dos Estúdios Walt Disney


     Apesar de já ter passado da infância, animação ainda hoje é o meu gênero preferido do cinema. De minhas memórias mais remotas, me recordo que os primeiros filmes de animação que assisti foram "O Corcunda de Notre Dame" (1996) e "O Rei Leão" (1994), ambos produzidos pelos Estúdios Disney. Foi meu primeiro contato com a magia do universo da Disney.

      Em razão da postagem que fiz sobre os 5 melhores filmes produzidos pelos estúdios Pixar e também pelo Dia das Crianças, hoje resolvi listar os melhores dos estúdios Disney. Ao final da postagem, comentem: quais são as suas animações preferidas da Disney?

sábado, 7 de outubro de 2017

E se "A Força do Querer" fosse uma novela dos anos 70?


     Simulação: Como seria o elenco principal de "A Força do Querer" nos anos 70?


     "A Força do Querer", fenômeno de Gloria Perez, chega ao fim nas próximas semanas. Ao longo de pouco mais de seis meses, a novela obteve audiência e repercussão crescentes - consequência de um roteiro inspirado, direção artística primorosa, notável equipe técnica e um grande time de atores que esbanjaram talento dando vida a personagens tão carismáticos.

     Sempre que assisto "A Força do Querer", imagino como seria se a trama tivesse sido exibida nas décadas passadas. E essa prática ficou ainda mais frequente quando Betty Faria entrou na novela. Sou grande fã do trabalho da atriz e assisti algumas novelas que ela participou nos anos 70 e 80, como "Pecado Capital" e "Água Viva". E às vezes costumo imaginá-la interpretando personagens atuais. Durante uma das cenas em que contracenou com Juliana Paes, tive um insight ao imaginar Betty Faria interpretando Bibi Perigosa. A ideia ficou tão concreta, que chegou me causar espanto.

     Gradativamente, conforme outros personagens apareciam, comecei a idealizar os atores veteranos que poderiam interpretá-los. Assim, criei o elenco principal de "A Força do Querer" dos anos 70. E, na minha opinião, ficou tão legal que resolvi compartilhar essa fantasia com vocês! Ah, que fique claro que se trata apenas de uma simulação, uma brincadeira de um fã de dramaturgia. E, por favor, não levem em conta a idade dos atores e personagens. Tentei ao máximo ser fiel à produção, mas foi difícil, uma vez que não conheço muito dos atores da década de 70 e não sei a idade exata dos personagens. A escolha dos atores na representação dos personagens foi por critério de atuação, aparência e também por mera curiosidade em outros trabalhos.

     Bem, antes de mais nada, vamos imaginar que essa versão de "A Força do Querer" tenha sido exibida em 1977, há exatos quarenta anos. Nessa época, Gloria Perez ainda não escrevia novelas. Mas Janete Clair, uma das maiores referências da nossa teledramaturgia e que ensinou à própria Gloria Perez a arte de escrever uma novela, estava no auge do sucesso, contando grandes histórias. Certamente Janete Clair seria a autora ideal para nossa versão fictícia. E na direção, não consigo imaginar outra a não ser a de Roberto Talma. Já afirmei aqui o quanto acho o estilo da direção de Rogério Gomes (diretor artístico de "A Força do Querer") muito parecido com o de Talma. Portanto, ninguém melhor do que ele para a direção. Finalizando esses detalhes, vamos ao elenco:

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

"Bebê a Bordo" substitui "Tieta" no Viva em 2018


Sucesso de Carlos Lombardi volta ao ar a partir de janeiro!

      O Viva é mesmo uma caixinha de surpresas. Alguns meses após anunciar a reprise de "Explode Coração", "Jogo da Vida" e "Sinhá Moça", a colunista do jornal O Globo, Patrícia Kogut, anunciou nessa terça, 26, a mudança de planos do canal para uma das novelas anunciadas. 

     "Jogo da Vida", de Silvio de Abreu, exibida em 1981/82, perdeu a vez para "Bebê a Bordo" (1988), de Carlos Lombardi.

     Dirigida por Roberto Talma, "Bebê a Bordo" foi a novela das sete contemporânea a "Vale Tudo" e "Fera Radical", atualmente exibida no Viva. Com enredo repleto de ação, a novela retratava as relações familiares de uma forma irreverente e bem-humorada. "Bebê a Bordo", no Viva, substitui "Tieta", no horário das 15h30. O certo seria que a trama protagonizada por Isabela Garcia estreasse logo após o término de "Tieta", em dezembro. Mas, por estratégia, o canal decidiu adiar o início para o mês seguinte, em virtude da época não tão favorável para a audiência. Assim, será exibida como tapa-buraco a minissérie "Grande Sertão: Veredas". O mesmo valerá para "Explode Coração" (1995), que sucederá "Por Amor": provavelmente "O Fim do Mundo", novela de Dias Gomes será exibida no período entre o final da novela de Manoel Carlos e o início da trama de Perez. Já "Sinhá Moça" segue como substituta de "Fera Radical".

     Embora tenha curiosidade em assistir "Bebê a Bordo", fiquei extremamente infeliz com a troca. "Jogo da Vida", de tudo que pesquisei sobre ela, me pareceu uma novela muito mais interessante do que a primeira; e também tinha chances bem menores de ser reexibida do que "Bebê a Bordo", que é um clássico, cuja reprise sempre deu como certa por ser muito requerida pelo público. Mas espero que a volta de "Jogo da Vida" tenha sido apenas adiada. Vou torcer para ainda ter a oportunidade de assisti-la.

     E quanto a você, leitor, o que achou da troca? Comente!

Referência

KOGUT, Patrícia. Novela de Carlos Lombardi, 'Bebê a bordo' será exibida no Viva. Patrícia Kogut, 26 set. 2017. Disponível em <http://kogut.oglobo.globo.com/noticias-da-tv/coluna/noticia/2017/09/novela-de-carlos-lombardi-bebe-bordo-sera-exibida-no-viva.html> Acesso em: 26 set. 2017;

MEMÓRIA GLOBO. Bebê a Bordo. Memória Globo, 2017. Disponível em <http://memoriaglobo.globo.com/programas/entretenimento/novelas/bebe-a-bordo/trama-principal.htm> Acesso em: 26 set. 2017.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

As Novelas Exibidas durante a 13ª temporada de Malhação


Quais novelas eram exibidas quando a 13ª temporada de Malhação estava no ar?


     A temporada que tem como protagonistas os atores Luiza Valdetaro e Bernardo Mello Barreto começa a ser reprisada hoje, dia 25/09, no Viva. Exibida originalmente em 2006, lá se vão pouco mais de onze anos desde então... O tempo, implacável, avançou e obviamente a vida das pessoas que assistiram mudou bastante de lá pra cá. Você já parou para refletir como era sua rotina naquele ano?

     Em virtude da estreia da reapresentação de Malhação 2006 no Viva, hoje o blog relembra as novelas da TV Globo que estavam no ar durante o período em que a temporada esteve no ar originalmente. Confira:

sábado, 23 de setembro de 2017

[Sinopse] "O Outro Lado do Paraíso" - Walcyr Carrasco


Folhetim clássico: Walcyr Carrasco retorna ao horário das nove com "O Outro Lado do Paraíso"


      Depois do imenso sucesso de "Verdades Secretas", às onze, e "Êta Mundo Bom!", às seis, Walcyr Carrasco desenvolve a próxima novela das nove, "O Outro Lado do Paraíso". A estreia de Carrasco no horário nobre aconteceu há quatro anos, com "Amor à Vida".

     A direção artística da nova novela é de Mauro Mendonça Filho, que já trabalhou com o autor em outras tramas, como as já citadas "Verdades Secretas" e "Amor à Vida", e a segunda versão de "Gabriela" (2012).

      "O Outro Lado do Paraíso" abordará temas delicados, como racismo e homofobia; e também o nanismo - raramente retratado na dramaturgia. Como um bom e velho folhetim que promete envolver o público, a novela também apresenta uma galeria de personagens interessantes e um elenco de grandes artistas.

      Na missão de manter o público do fenômeno "A Força do Querer", a novela protagonizada por Bianca Bin e Rafael Cardoso estreia no dia 23 de outubro. Confira a sinopse e o trailer da novela:

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Parceria entre Gloria Perez e Rogério Gomes é a alma do sucesso de "A Força do Querer"


     Primeiro trabalho em união da dupla, "A Força do Querer" é um dos maiores êxitos da teledramaturgia nos últimos cinco anos.


     Dia desses, devido à ausência de um professor, fui para a cantina da faculdade a fim de passar o tempo enquanto esperava chegar a hora do ônibus. Por sorte a televisão estava ligada e aproveitei para acompanhar o capítulo de "A Força do Querer", que estava sendo exibida naquele momento. Minutos depois, olhei ao redor e contemplei um considerável número de pessoas que também assistiam a novela. O fato me surpreendeu por dois motivos: um deles é que, quando cheguei, a cantina estava quase vazia; o segundo é que raramente estudantes e funcionários, no intervalo ou no final de suas atividades, se dirigem ao local para fazer qualquer outra coisa que não seja se alimentar ou conversar com um grupo de amigos.

     Não é novidade o sucesso de "A Força do Querer". Faltando poucas semanas para seu final, a novela de Gloria Perez acumula médias de audiência acima do que as novelas anteriores do horário vinham alcançando. E há muito tempo que uma novela das nove não gerava tanta repercussão. No trabalho, na fila do banco, nos meios de transporte, ou em qualquer outra ocasião é possível ouvir alguém comentando sobre a novela. E se não comentam a novela em si, durante qualquer diálogo é possível ouvir a expressão "Égua!".

Externas em "A Força do Querer" (Imagem: Reprodução/TV Globo)

     O sucesso de "A Força do Querer" me surpreendeu bastante. Não esperava que seria tão arrebatador assim. A novela anterior escrita por Gloria Perez, "Salve Jorge" (2012/13), sofreu severas reprovações por parte da crítica e do público nas redes sociais, além de audiência abaixo do esperado. Mas a autora se superou em seu trabalho atual. E uma das mudanças mais significativas foi a direção. Desde 2005, com a novela "América", Perez vinha trabalhando com Marcos Schechtman na direção de suas tramas. Ainda que tenham alcançado o Emmy Internacional por "Caminho das Índias", era notável que a direção de Schechtman não engrandecia o texto da autora, vide os diversos erros de continuidade e pouco zelo em relação a cenários e algumas sequências. 

     Quando anunciaram que Rogério Gomes seria o diretor de "A Força do Querer" eu fiquei bastante curioso com relação ao resultado dessa parceria. Até hoje Gomes dirigiu novelas de Benedito Ruy Barbosa, Andréa Maltarolli, Elizabeth Jhin, Walcyr Carrasco e Aguinaldo Silva, todas com muito êxito. Mas Gloria Perez possui estilo bem diferente dos autores citados, então aguardei ansioso pelo resultado.

Cenários realistas são um dos pontos positivos da produção de "A Força do Querer" (Imagem: Reprodução/TV Globo)

      No ar, "A Força do Querer" comprovou a qualidade da direção e a competência da equipe para dirigir qualquer produção. Além do excelente elenco, os cenários, os efeitos e as sequências das cenas, alinhados a um texto sensível, são de impressionar por sua sublimidade. É exatamente aquilo que o telespectador espera: uma novela com cara de novela, sem a tola ambição de aproximar as novelas do estilo das séries. Dos diretores de hoje, do meu ponto de vista, Rogério Gomes é o único que mantém uma novela com as qualidades e os conhecimentos que a atualidade oferece, sem deixar de lado as raízes das novelas tradicionais. Seu estilo se assemelha muito ao de Paulo Ubiratan e Roberto Talma, os dois diretores responsáveis por grandes sucessos dos anos 70 e 80.


     Com um novo parceiro na direção de suas novelas, Gloria Perez apresentou uma trama mais simples e ao mesmo tempo notável. E a alta audiência e repercussão que vem gerando, comprova que uma boa direção faz toda a diferença. Gomes e sua equipe souberam acentuar o que há de melhor no texto da autora. Em "A Força do Querer" podemos enxergar a alma de seus personagens e os sentimentos que desencadeiam suas ações. Movidos por aquilo que fortemente desejam, corajosamente vão de encontro aos seus objetivos.

Dedicação do elenco evidencia a peculiaridade dos personagens de "A Força do Querer" (Imagem: Reprodução/TV Globo)

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

[Sinopse] "Entre Irmãs" - Frances de Pontes Peebles

Premiado romance de Frances de Pontes Peebles terá versão cinematográfica lançada em outubro.


      "Entre Irmãs", livro de Frances de Pontes Peebles, está entre as próximas publicações da editora Arqueiro. O lançamento está marcado para o dia 02 de outubro. E mais tarde, no dia 12, é a vez do lançamento do filme inspirado na obra. E, futuramente, será exibido no formato de microssérie, pela TV Globo.

     O romance narra a trajetória de duas irmãs órfãs que, apesar da forte ligação entre elas, possuem anseios e perspectivas diferentes em relação à vida. Ao se separarem e cada uma seguir caminhos diferentes, permanece em seus corações a certeza de que, no mundo, só possuem uma à outra. 

     O longa-metragem, dirigido por Breno Silveira, é protagonizado pelas atrizes Marjorie Estiano e Nanda Costa, que interpretam, respectivamente, as irmãs Emília e Luzia. Também foram escalados os atores Rômulo Estrela, Letícia Colin, Gabriel Stauffer, entre outros. Confira as informações, a sinopse e o trailer do filme:

domingo, 10 de setembro de 2017

[Resenha] "Nossa Música" - Dani Atkins

Novo romance de Dani Atkins, "Nossa Música" provoca profundas reflexões e evidencia verdadeiras lições de vida.

     
     A autora Dani Atkins já é uma grande conhecida aqui do blog. Em 2015, tive o primeiro contato com uma obra da autora através do romance "Uma Curva no Tempo", um dos mais comoventes que já li. No ano seguinte, inúmeros segredos e surpresas se despontavam nas páginas de "A História de Nós Dois". Ambos os livros, de grandiosa qualidade, facilmente se consagraram uma das melhores leituras de seus respectivos anos de lançamento.

Confira a resenha de "Uma Curva no Tempo" aqui, e a de "A História de Nós Dois" aqui.

     Em 2017, com o anúncio da publicação de "Nossa Música", e levando em conta as excelentes experiências com os romances anteriores da autora, não se podia esperar menos do que uma trama arrebatadora e repleta de surpresas. Mas, em considerável parte do romance, isso não foi percebido.

     "Nossa Música" possui premissa interessante. Envolve qualquer leitor com sua sinopse. Afinal, o reencontro de duas mulheres, com um conturbado passado em comum, numa situação semelhante e inusitada na sala de espera de um hospital, é de deixar qualquer pessoa ansiosa por descobrir a ligação entre as duas e as surpresas e lições que a vida reservaria para aquelas personagens envolvidas.

     Confira a sinopse de "Nossa Música", clicando aqui.

     É pesaroso ter que dizer isso, mas "Nossa Música" só empolgou faltando cerca de 70 páginas para terminar. E se tratando de um livro com pouco mais de 360, isso quer dizer muita coisa. A impressão que tive é que até a parte em que a história começou a se movimentar, tudo o que li e acompanhei na trama não se passou de uma mera introdução. Sim, uma introdução de aproximadamente 240 páginas. Complicado, não?

     Acredito que a ordem cronológica apresentada foi a principal responsável pela impressão relatada. Embora já tenha lido outros romances com o mesmo estilo narrativo, por alguma razão em "Nossa Música" não funcionou. Ficou, digamos, cansativo, maçante... E do meu ponto de vista prejudicou na apresentação da personagem Charlotte. Eu não sei se esta era a intenção da autora, mas eu não consegui ter o mínimo de empatia com a personagem. Tudo bem que Ally tem tudo a seu favor para se tornar a queridinha dos leitores (e para mim, realmente foi), mas o modo que a história foi apresentada, tive a ligeira impressão de que os leitores deveriam ficar indecisos sobre quem torcer ou se apegar. Só que não é o que acontece. E, por isso, a história pareceu não funcionar. Pessoalmente, acho que a introdução da história deveria ser o encontro das duas, Ally e Charlotte, na sala de espera do hospital. E nos capítulos seguintes, com o salto no passado, voltaríamos no tempo e acompanharíamos a trajetória de ambas, de forma alternada e contínua, até o momento presente (na sala de espera). Dali, a narrativa seguiria até o final. Se fosse assim, acredito que a história seria mais honesta e até mesmo dinâmica. 

     Mas a leitura de "Nossa Música" também teve seus pontos positivos. E um deles, o mais marcante, é a relação da personagem Ally com seu marido, Joe. A ligação entre eles ocorre de forma curiosa, mas que se revela um amor genuíno que só a vida é capaz de revelar. Aliás, Joe é o melhor personagem de "Nossa Música". Isso fica evidente logo nas primeiras páginas, onde é possível perceber sua generosidade, integridade e coragem. Já o David, o principal motivo pela rivalidade de Ally e Charlotte, é quase o oposto de Joe.

     Assim como os livros anteriores de Dani Atkins, "Nossa Música" provoca reflexões profundas e nos acarreta verdadeiras lições de vida. A força incomparável do destino, somada com a sabedoria da vida, sempre nos leva ao aprendizado que necessitamos, em situações inesperadas, a fim de que possamos ser capazes de superar todo e qualquer obstáculo e compreender o verdadeiro sentido da vida. E a satisfação de acompanhar histórias como a de "Nossa Música" é justamente essa.

domingo, 3 de setembro de 2017

[Lançamento] Nova Edição: "A Casa das Marés" - Jojo Moyes

"A Casa das Marés": mais um romance de Jojo Moyes é relançado!


     Publicado originalmente em 2003, "A Casa das Marés" chegou ao Brasil apenas em 2007, pela editora Bertrand Brasil. Em 2015, o romance ganhou nova edição pela mesma editora.

     Agora, em 2017, a editora Intrínseca resolveu lançar uma nova edição do livro, com capa no mesmo estilo das demais obras da autora. 

      "A Casa das Marés" explora as dinâmicas familiares numa romântica e deliciosa história, com encontros emocionantes, antigos amores, traições e segredos a serem revelados.

sábado, 2 de setembro de 2017

[Sinopse] "Malhação" - 13ª Temporada


      No Viva, a próxima "Malhação", estreia no dia 25/09. Exibida originalmente entre 16 de janeiro de 2006 e 12 de janeiro de 2007, a 13ª temporada foi escrita por Izabel de Oliveira e Paula Amaral, com direção de núcleo de Ricardo Waddington.

     Protagonizada por Luiza Valdetaro (Manuela) e Bernardo Mello Barreto (Cauã), a trama ainda conta, em seu elenco, com muitos atores, como: Marcello Novaes, Cláudia Ohana, Juan Alba, entre outros.

      Assistir novamente à temporada de 2006 de "Malhação" será uma verdadeira e agradável viagem no tempo. Foi a primeira temporada que apreciei e que assisti de forma assídua. E até hoje está entre minhas prediletas. Sem dúvidas, uma excelente oportunidade para relembrar uma época tão marcante e presente na memória afetiva.

      Abaixo você confere uma breve sinopse: